O que narramos

Hoje eu me propus uma reflexão. É daquelas reflexões que só surgem durante a fronteira entre sono e vigilia, naquele momento onde o cérebro está dando boot. Geralmente, é nesses momentos que me surgem as melhores ideias, e também em minhas caminhadas, onde hoje avancei na ideia de um livro escrito em forma legística: a constituição de um país onde apenas as mulheres votam e são votadas. Continuar lendo O que narramos