CPI: Queiroga foge de opinar sobre cloroquina

Ministro de Estado da Saúde, Marcelo Queiroga

Ao ser perguntado pelo senador Renan Calheiros (MDB), se ‘compactua com a visão do presidente da república’ sobre o tratamento ‘precoce’ contra a COVID-19, especialmente com cloroquina, o ministro da saúde Marcelo Queiroga não deu resposta afirmativa ou negativa, esquivando-se mesmo após repetido por diversas vezes o questionamento. Tasso Jereissati (PSDB) também insistiu, sem suceddo, na indagação.

Sobre a ameaça de decretos extinguindo medidas de isolamento social, a estratégia adotada seguiu a mesma linha: de que seria dado parecer no momento adequado.

‘É uma pergunta objetiva’

Durante o depoimento do renomado médico na CPI da COVID-19, no dia de hoje, foi colocada por diversas vezes por Calheiros a necessidade de objetividade nas perguntas, o que foi a todo momento evitado.

Senadores governistas, sempre que o ministro encontrava-se encurralado, levantaram questões de ordem, alegando que o relator estaria ‘induzindo a testemunha’.

Renan Calheiros deu ênfase às declarações polêmicas e negacionistas de Bolsonaro. O tom geral das respostas foi de evitar qualquer juízo de valor sobre quaisquer posicionamentos do chefe do executivo.

‘Estamos na iminência de assinar contrato com a Pfizer’, disse Marcelo Queiroga, contraditoriamente respondendo que não tem conhecimento do documento.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s